Saltar a navegação

– Filha… vem jantar, a sopa está a arrefecer.

– Filha não, eu sou a Bela Rainha Bailarina.

– Está bem, desculpa. Bela Rainha Bailarina vem jantar.

– Já vou… Pai… queres casar comigo?

– Quero filha.

– Filha não, eu sou a Bela Rainha Bailarina.

– Quero Bela Rainha Bailarina. Mas pode ser depois do jantar?

– Pode. A sopa está fria.

Anúncios

13 Comments

  1. Empate técnico entre a rainha bailarina e a princesa da ce…noura.
    E criarem uma categoria só para estas pérolas de levar ás lágrimas?
    É só porque assim eu podia ir logo directo ao riso e escusava de andar à procura quando quisesse recordar…

    • 🙂 a realidade às vezes é bem mais ficcional do que a ficção. Pois tens toda a razão: que se crie um marcador especial! Pode ser: Os filhos todos os dias!

  2. Lindo.A minha princesa bailarina ,felizmente não é imaginária.

    • Esta também não, embora às vezes pareça! 🙂

  3. hehehe… essa dos filhos de todos os dias tem piada… nunca mais te vais livrar disso… e torna-se um dever sagrado registar essa magia toda. tão Querida, a Míúda! Eu também pedi o meu pai em casamento, achava-o lindo e ainda por cima como era um lobo do mar só o via de quando em vez… trazia-me presentes, coisas que não havia por cá. 🙂

    • é a minha faceta masoquista… sofremos por prazer! 🙂

  4. eu podia ter sido tão mais fixe para o meu pai…

    • uiiii… que nostalgia é essa?!?! senti aqui uma dose de tristeza ou foi só impressão minha!?

        • franksy
        • Posted Outubro 13, 2010 at 10:01 pm
        • Permalink

        Ei! Não, não! Nada disso! Foi só em tom de brincadeira! É que eu nunca pedi o meu pai em casamento… e achei isto tão delicioso!

        Mas o meu pai é – e sempre foi – super espectacular!!! Levava-me o pequeno-almoço à cama todos os dias! Ia levar-me à escola! Ia buscar-me! Enquanto fazia o jantar para todos [éramos 6!!!], fazia bolos disparatados comigo! [depois a minha mãe chegava a casa e ralhava com ele porque aquela forma era para pudins! O meu pai piscava-me o olho e no dia seguinte voltávamos ao mesmo!]. Quando eu fazia anos, o meu pai ia ao meu quarto durante a noite e com um punaise e fio de pesca pendurava a minha prenda no tecto de modo a que ficasse mesmo em frente à minha cara quando eu acordasse! Quando era muito catraia, o meu pai contava-me sempre uma história de raposinhas à noite, para eu adormecer! ajudava-me a fazer os trabalhos da escola! Dava-me grandes e esclarecedores ensinamentos sobre a importância de não poluir! De nunca atirar sequer uma pastilha mastigada para o chão! O meu pai fazia bolinhos de abóbora na véspera de natal e eu ficava acordada para os comer ainda quentinhos! Ainda hoje o meu pai faz bolinhos de abóbora todos os natais para mim! O meu pai ia comigo buscar musgo para o presépio e montávamos juntos a árvore de natal… e mesmo assim, eu nunca o pedi em casamento!

        • genialrigoberto
        • Posted Outubro 14, 2010 at 8:26 am
        • Permalink

        bem… acho que até eu pediria o teu pai em casamento! 🙂

  5. mas que pai insuplantável sim senhora! pois o meu um dia partiu de viagem e demorou tanto tempo que voltou grisalho e com um grande bigode. Hoje em dia diz´que é ateu e que se tivesse que acrecitar num deus seria no meu. Mas nunca explicou porquê. Talvez porque suspeite que eu não tenho um… 🙂

    • Essa é a verdadeira partilha. Eu roubo-te aquilo que não tens e nesse roubo ofereço-te um pensamento. 🙂

  6. eu sou uma rapariga cheia de sorte…


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: